Branko mostra-nos um Atlas feito de música

  

Club Atlas 01 Lisboa

Série documental "Club Atlas" estreou em fevereiro na RTP2 e faz uma viagem pelo globo, ao longo de oito episódios. O objetivo é encontrar "os ritmos e os sons que vão traçar as novas coordenadas da música de dança".

No total, são oito episódios, oito países e muitos milhares de quilómetros. Na série documental "Club Atlas", o produtor e DJ Branko parte de Lisboa, acompanhado pelo realizador João Moreira, e passa por cidades como Lima (Peru), Bombaim (Índia), Acra (Gana), São Paulo (Brasil). O objetivo desta viagem, explica Branko, durante o primeiro episódio da série, é procurar "os ritmos e os sons que vão traçar as novas coordenadas da música de dança". Uma busca a que, acrescenta, dedica grande parte da sua vida.

Para encontrar estes ritmos e sons, o produtor e fundador dos Buraka Som Sistema mergulha nas culturas locais, de forma a "conhecer como a tradição e a música eletrónica se encontram nas pistas de dança do Mundo". Dar a conhecer esta diversidade cultural é, para Branko, "mais importante do que nunca", para "nos conseguirmos conhecer e entender melhor". Lima (Peru), Bombaim e Goa (Índia), Acra (Gana), Montreal (Canadá), São Paulo (Brasil), Cidade da Praia e Mindelo (Cabo Verde) são as paragens desta viagem musical que começou a 19 de fevereiro e se prolonga até abril, na RTP2. Em comum, estas oito cidades "têm uma produção musical única", explicou Branko à revista Sábado: "Fazem música que não se faz em mais lado algum do mundo".