As novas formas de ensinar foram discutidas em Setúbal

  

 MG 9652

Congresso nacional debateu práticas pedagógicas para os estudantes do ensino superior. Estiveram reunidos, no Politécnico de Setúbal, 193 docentes, nos dias 13 e 14 de julho. 

No total, esta 4.ª edição do Congresso Nacional de Práticas Pedagógicas no Ensino Superior reuniu 193 docentes de 37 instituições do ensino superior politécnico e universitário, num total de 144 comunicações. De acordo com o Politécnico de Setúbal o objetivo passou por dinamizar "dois dias de trabalho focados na partilha e na reflexão coletiva em torno de experiências pedagógicas concretas".


O que se pretendeu, segundo o presidente da comissão organizadora local, Fernando Almeida, foi “dar visibilidade a novas práticas, diferentes daquelas que adotamos, reprodutiva e irrefletidamente”. 

Na sua intervenção, o Presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, realçou "a necessidade de um maior investimento na formação pedagógica dos docentes", como elemento central para o sucesso académico dos estudantes. "Não podemos exigir aos nossos estudantes que sejam indivíduos aprendentes e depois não ter a mesma exigência connosco próprios”, reforçou. 

Pedro Dominguinhos realçou ainda o desinteresse de uma grande percentagem da população jovem pelo prosseguimento de estudos, quando "mais de 50 por cento dos nossos jovens não procuram um futuro no ensino superior em termos de formação”.

Face a este contexto, acrescentou a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, a solução passa por adotar lógicas colaborativas, que tenham reflexo fora do ambiente de sala de aula: "as práticas pedagógicas que são feitas dentro do ensino superior têm que ser, elas próprias, também já o reflexo de uma dinâmica colaborativa, que não se confine ao espaço da aula ou sequer ao espaço da instituição do ensino superior”.