"Um lugar onde quase tudo é possível": eis o novo livro de Gonçalo M. Tavares

  

A Mulher sem cabeça e o Homem do Mau-olhado

No ano em que se assinalam 15 anos desde o lançamento do seu primeiro livro, Gonçalo M. Tavares publica a sua mais recente obra: "A Mulher-Sem-Cabeça e o Homem-do-Mau-Olhado". Este novo livro constitui a abertura de um novo "universo" literário. 

Resultado de um processo criativo de cinco anos, "A Mulher-Sem-Cabeça e o Homem-do-Mau-Olhado" recorre à "tradição narrativa da oralidade e do fantástico", adianta a Bertrand, em comunicado. Depois da tetralogia "Reino", esta obra de ficção é o primeiro livro de um mundo ao qual o autor chamou de "Mitologias". 

Segundo Gonçalo M. Tavares, esta obra marca o aparecimento de personagens que surgirão nos livros seguintes. Quanto à narrativa, o autor adiantou que se trata de "uma ficção que se passa num tempo mitológico. um tempo que até pode tocar em acontecimentos da história que reconhecemos, mas que os recoloca numa energia narrativa completamente diferente – em que não interessam datas, nem o antes nem o depois".

Cada capítulo de "A Mulher-Sem-Cabeça e o Homem-do-Mau-Olhado" poderá ter diferentes interpretações, avança Gonçalo M. Tavares. "As interpretações pertencem ao leitor", garante, acrescentando que "não há simbolismos (...) as coisas são o que são".

No entanto, o autor reconhece a possiblidade de haver um tema subjacente a este romance: "talvez A Mulher-Sem-Cabeça e o Homem-do-Mau-Olhado seja também um estudo sobre o mal, sobre a desordem, sobre as tentações do humano".

Relativamente ao universo que agora cria, as "Mitologias" são, de certa maneira, uma segunda História que mistura factos concretos, reais, com ficções puras, com impossibilidades. Tudo isto, sem tocar a independência do cosmos que agora se abre."É mesmo uma nova história, não quer interpretar nem explicar a outra. É uma nova narrativa colocada num lugar onde quase tudo é possível", conclui.