ESTM dinamiza programa de voluntariado ambiental.

  

FotografiaESTM

Na Reserva da Biosfera das Berlengas (UNESCO), jovens voluntários sensibilizam visitantes para comportamentos “amigos” do ambiente

 A Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), em conjunto com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e com a Câmara Municipal de Peniche, está a dinamizar, desde julho até 8 de setembro, um programa de voluntariado ambiental na Reserva da Biosfera das Berlengas (UNESCO), na Ilha da Berlenga. Os participantes, com idades compreendidas entre os 19 e os 21 anos, apoiam os visitantes com a partilha de informação e de valores únicos desta Reserva Natural da UNESCO, e sensibilizam para os comportamentos adequados à presença num ecossistema marinho de grande importância a nível nacional e internacional.

A quarta edição deste programa de voluntariado ambiental, iniciado em 2011, conta com duas dezenas de jovens, na sua maioria estudantes da ESTM. Além da informação prestada, os participantes também realizam inquéritos que permitem definir o perfil do visitante e a experiência da visita à Reserva da Biosfera das Berlengas. O programa de voluntariado ambiental conta igualmente com o apoio da Capitania do Porto de Peniche e da Marinha Portuguesa.

«Trata-se de um programa que, para além do trabalho que os voluntários desenvolvem, permite-lhes desenvolver competências que serão valorizadas em termos de formação académica e pessoal», refere Sérgio Leandro, docente na ESTM e coordenador da licenciatura de Biologia Marinha e Biotecnologia. «São jovens muito dedicados e empenhados em transmitir os seus conhecimentos e a sua paixão pela natureza e pelo ambiente a quem visita a Berlenga», salienta o professor.

A Reserva Natural das Berlengas é um arquipélago oceânico composto por numerosas ilhas e rochedos, dispostas em três grupos: Berlenga, as Estelas e os Farilhões-Forcadas. Com uma extensão total aproximada de 9.560 hectares, a Reserva compreende uma área marinha muito vasta situada na envolvente do arquipélago. O arquipélago das Berlengas foi classificada como reserva natural por vários fatores, nomeadamente pelo seu ecossistema insular, o valor biológico da área marinha, o elevado interesse botânico, o papel da ilha em termos de avifauna marinha e a presença de património arqueológico subaquático. Em 2011, a UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação Ciência e Cultura atribuiu a classificação de Reserva Mundial da Biosfera ao arquipélago das Berlengas.