Em 2019, houve, em Portugal, 74 acidentes com trotinetes. Em cada um deles, bem como no caso de acidentes com bicicletas elétricas, recordou o presidente do ACP, Carlos Barbosa, durante o lançamento desta campanha, o uso do capacete pode fazer a diferença. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, usar capacete reduz até 42% o risco de lesões fatais e em 69% as probabilidades de lesões na cabeça.

A campanha "Não sejas Alberto, usa capacete!" foi lançada pelo ACP, em parceria com a Polícia de Segurança Pública e com as empresas de trotinetas a operar em Portugal. O nome Alberto é uma referência ao vídio promocional da campanha, em que um cientista exemplifica as diferenças de um impacto com ou sem capacete. 

Vídeo da Camapanha ACP (Fonte: Canal do Youtube ACP)

As trotinetas elétricas e bicicletas elétricas têm sido uma presença crescente nas ruas das cidades portuguesas. As trotinetas, em específico, são uma tendência que segue um fenómeno global. De acordo com os dados da National Association of City Transportation Officials, em 2018, foram realizadas 38,5 milhões de viagens de trotinetas, nos Estados Unidos. Em Portugal, a média estimada é de 13 mil viagens por dia. 

O ACP recorda que estes veículos podem atingir velocidades na ordem dos 30 km/h, "circulando entre o trânsito intenso das cidades e até pelos passeios". Dados que reforçam a importância de adotar comportamentos seguros ao volante. 

O Código da Estrada obriga ainda ao uso de capacete em velocípedes com motor auxiliar, sendo que a não utilização do capacete pode resultar numa multa entre os 60 e os 300 euros. 

 

Pin It