21 885 47 30 | geral@forum.pt

Comissão Europeia anunciou as 17 instituições de Ensino Superior em toda a Europa que farão parte das primeiras alianças de Universidades Europeias. Universidades de Aveiro, Lisboa e Porto estão na lista.

Cabe-lhes promover a qualidade e atratividade do ensino superior europeu e fomentar a cooperação entre as instituições, os alunos e o pessoal do ensino superior. 

Das 54 candidaturas recebidas, foram selecionadas 17 universidades europeias, num total de 114 estabelecimentos de ensino superior de 24 Estados-Membros, com base numa avaliação realizada por 26 peritos externos independentes, incluindo reitores, professores e investigadores, nomeados pela Comissão. As Universidades Europeias são alianças transnacionais de estabelecimentos de ensino superior de toda a UE que partilham uma estratégia de longo prazo e promovem os valores e a identidade europeus. A iniciativa visa reforçar significativamente a mobilidade dos estudantes e do pessoal e promover a qualidade, a inclusão e a competitividade do ensino superior europeu.

"Congratulo-me por ver a ambição das primeiras17 Universidades Europeias, que funcionarão como modelos para as outras em toda a UE. Permitirão às próximas gerações de estudantes adquirir uma experiência da Europa, estudando em diferentes países. Estou convencido de que esta iniciativa, que constitui um elemento essencial do Espaço Europeu da Educação, constituirá um verdadeiro fator de mudança para o ensino superior na Europa, promovendo a excelência e a inclusão", confessa Tibor Navracsics, Comissário da Educação, Cultura, Juventude e Desporto.

A seleção de Universidades Europeias inclui uma vasta gama de estabelecimentos de ensino superior de toda a UE, desde universidades de ciências aplicadas, técnicas e artísticas até universidades de estudos gerais e de investigação intensiva. As Universidades Europeias tornar-se-ão campus interuniversitários em torno dos quais os estudantes, os doutorandos, o pessoal e os investigadores podem circular sem barreiras. Reunirão os seus conhecimentos especializados, plataformas e recursos para a realização de programas ou módulos comuns que abranjam várias disciplinas. Estes programas serão muito flexíveis e permitirão aos estudantes personalizar a sua educação, escolhendo o que querem estudar, onde e quando fazê-lo, e onde obter um diploma europeu. As universidades europeias contribuirão também para o desenvolvimento económico sustentável das regiões onde se encontram, uma vez que os seus estudantes irão trabalhar em estreita colaboração com empresas, autoridades municipais, académicos e investigadores para encontrar soluções para os desafios que as suas regiões enfrentam.

No total, está disponível um orçamento máximo de 85 milhões de euros para as primeiras 17 Universidades Europeias. Este primeiro convite, bem como um segundo que será lançado este outono, testará os diferentes modelos para implementar o novo conceito de Universidades Europeias e o seu potencial para fomentar o ensino superior. Para o próximo orçamento de longo prazo da UE que decorre entre 2021 e 2027, a Comissão propôs o pleno lançamento das Universidades Europeias no âmbito do programa Erasmus+, com um orçamento significativamente aumentado. Embora algumas alianças sejam abrangentes e abranjam todas as disciplinas, outras são, por exemplo, centradas na sustentabilidade costeira urbana, nas ciências sociais ou na saúde mundial. Cada aliança é composta por uma média de sete instituições de ensino superior de todas as partes da Europa, conduzindo a novas parcerias, refletindo a distribuição dos pedidos recebidos dos vários países.

Contexto

A Comissão Europeia propôs esta nova iniciativa aos líderes da União Europeia, antes da Cimeira Social de Gotemburgo, em novembro de 2017. A iniciativa foi aprovada pelo Conselho Europeu em dezembro de 2017, que apelou à emergência de pelo menos 20 universidades europeias até 2024 e faz parte do impulso para a criação de um Espaço Europeu da Educação até 2025.

Desenvolvido em conjunto com os Estados-Membros, as instituições de ensino superior e as organizações de estudantes, o conceito de Universidades Europeias atraiu candidaturas de 54 alianças que envolveram mais de 300 instituições de ensino superior de 28 Estados-Membros e de outros países participantes no Programa Erasmus+. Responderam a um convite à apresentação de propostas Erasmus+ sobre Universidades Europeias, lançado em outubro de 2018.

Os 60 milhões de EUR inicialmente previstos para esta nova iniciativa Erasmus+ foram aumentados para 85 milhões, permitindo o financiamento de 17 alianças em vez das 12 inicialmente previstas.

Pub Megafinalistas
Pub Lisboa Games Week
Pub Study Abroad Portugal
Últimas - Mobilidade
Mobilidade
10 Outubro 2019

O Instituto Politécnico de Setúbal foi palco da assinatura de um memorando de entendimento que marca o nascimento da Aliança de Cooperação Escola-Empresa da Oficina Lu Ban Portuguesa, encetando uma nova fase na vida desta oficina tecnológica, inaugurada em dezembro de 2018 no âmbito de uma parceria com o Governo da província chinesa de Tianjin.

Mobilidade
08 Outubro 2019

Quatro alunos da Escola Profissional de Engenharia Elétrica e Tecnologias de Informação Heinrich Emanuel Merck, em Darmstadt (Alemanha), estão a realizar um estágio profissional de 3 semanas na Câmara Municipal de Lagoa, cno âmbito do projeto Erasmus + «KA1 – Projeto de Mobilidade Individual para fins de Aprendizagem».

Mobilidade
30 Setembro 2019

No âmbito da sua estratégia de internacionalização, o ISEG tem vindo a captar cada vez mais professores e alunos estrangeiros, que constituem cerca de 20% do número total de estudantes.