Ao mesmo tempo, Lisboa tem cinco bolsas para professores não colocados que queiram vir a integrar a equipa e ensinar programação, que lhes permitem fazer o curso gratuitamente. 

A volta a abrir candidaturas para os seus bootcamps de programação, de 14 semanas intensivas de formação em Java e JavaScript, com início em janeiro. No final, os neles graduados podem vir a fazer parte do grupo de 96% de alumni que a já ensinou e que estão hoje empregados com um ordenado médio de 1.150€/mês. As únicas condições são ter mais de 18 anos, saber inglês, estar disponível "de corpo e alma" para este desafio e completar a candidatura ao campus escolhido em academiadecodigo.org..

Ao todo estes novos bootcamps têm 130 vagas disponíveis. O bootcamp de Lisboa tem duas turmas por preencher, ou seja, 40 possibilidades de oferecer um futuro promissor aos dispostos a abraçar esta aventura. Para este bootcamp as candidaturas terminam a 5 de janeiro. No Porto existem 40 vagas abertas até 6 de janeiro. Em Lisboa e no Porto, o valor dos bootcamps é de 6.000€, com três soluções de pagamento: pagar numa só prestação, dividir o valor por três prestações iguais ou ainda beneficiar das parcerias que a estabeleceu com o Banco BNI Europa e a Novabase, que cobrem parte dos custos (ou na totalidade, em alguns casos).

No Fundão estão alocadas 20 vagas para futuros FullStack Software Developers de qualquer parte do globo, até 16 de dezembro. Aqui o aluno só começa a pagar o curso quando, e se, encontrar trabalho na área das TI. Caso não encontre emprego no prazo de 12 meses, o curso é totalmente gratuito. Se, findo o curso, o aluno decidir aceitar uma proposta numas das empresas do Fundão, terá apenas de pagar metade do valor total do curso (2.500€). Para quem pretender fazer o curso no Fundão mas depois trabalhar fora da região, o pagamento deve ser feito na totalidade (5.000€). O desenvolvimento da atividade da neste concelho da Beira Interior resulta de uma parceria com a Câmara Municipal do Fundão e é uma das iniciativas que têm ajudado a cidade a tornar-se num dos principais hubs tecnológicos e de empreendedorismo no país, com vários prémios no currículo sendo o último o primeiro lugar na categoria "Apoiar a transição industrial inteligente" no Regiostars 2018 da Comissão Europeia.

Na Ilha Terceira existem 40 vagas em aberto, para quem tenha residência fiscal no arquipélago, até dia 30 de dezembro. O bootcamp e alojamento são oferecidos a 100% de forma a fixar talento nessa ilha. Cumpridos todos os objetivos do bootcamp pelo aluno, o emprego numa das empresas sediadas na ilha está garantido.

A <A Academia de Código_> nasceu na Startup Lisboa e tem conquistado vários públicos. Em 2016 foi considerada uma Best Practice pela Comissão Europeia. Em março deste ano comprou a Codeplace, uma escola online de programação presente em 140 países. Em maio, foi finalista world wide da Chivas Venture 2018, um concurso que premeia startups de Impacto Social. A desenvolve ainda uma iniciativa que ensina os mais pequenos a programar. A <academia de Código_Júnior> é uma parceria com a DGE (Direção Geral da Educação) e, neste ano letivo, chega a mais de 50 mil alunos das escolas do país. Em 2017, o programa foi o vencedor mundial dos World Summit on the Information Society.

{module ALWAYS_ON_2}