pexels-photo-354305

#1 | Lei da Segurança

- Não podes entrar com garrafas, latas ou objetos que possam ser considerados perigosos, como maçãs ou outros alimentos de fácil arremesso. Lancheiras, caixas e outros recipientes também são um “big no, no”. Serás convidado a deixar os mesmos à entrada do recinto e terás de aceitar submeter-te a detetores de metais ou revistas manuais.

- Estão totalmente proibidas as gravações e transmissões áudio e vídeo da totalidade ou parte do festival, assim como o uso de máquinas de filmar ou fotografar profissionais não acreditadas (objetiva amovível). Eis o que ditam os regulamentos da generalidade dos festivais. Nesta era das redes sociais, “good luck on that”… Por outro lado, o titular do bilhete aceita ceder a captura da sua imagem pelos meios existentes no recinto, a título gratuito ao promotor do festival. E deixa o selfie stick e afins em casa, sim?

- Não são permitidos animais de estimação (exceto cães-guia de invisuais). As pessoas com mobilidade condicionada têm lugares específicos para assistir aos concertos. Muitos festivais também garantem locais especiais para grávidas e babysitting.

- Não podes entrar com capacete, mas alguns festivais disponibilizam à entrada um serviço de bengaleiro especialmente a pensar nos motoqueiros.

- Estão proibidos material pirotécnico, chapéus de chuva, seringas e drogas, cadeiras de praia, correntes metálicas, cintos e pulseiras pontiagudas, malas de viagem, lanternas, lasers e flashlights;

woman-50901 960 720

#2 | Lei da Pulseira

Os passes de um festival implicam, obrigatoriamente, a sua troca por uma pulseira no primeiro dia de entrada, de modo a facilitar o controlo à porta nos restantes dias. Uma vez colocada, já não poderás tirar a pulseira e nem pensar em perdê-la. Qualquer dano visível na pulseira implicará a não entrada. Caso tenhas algum tipo de alergia ou uma profissão que implique retirar a pulseira, tal deverá ser mencionado e comprovado aquando da sua colocação para que possa ser permitida uma nova diariamente. A pulseira retirada deve ser apresentada diariamente aquando da colocação da nova.

pexels-photo-681847

#3 | Lei do Álcool

De acordo com a Lei do Álcool que proíbe a sua venda a menores de 18 anos, todos os que queiram consumir bebidas alcoólicas num festival deverão colocar uma pulseira específica para o efeito, mediante apresentação de identificação comprovativa da idade. A colocação da pulseira não é obrigatória, mas será solicitada a identificação sempre que alguém aparentar ter menos que 18 anos de idade.

pexels-photo-1174170

#4 | Lei da Sustentabilidade

Em alguns festivais, os copos são ecológicos e reutilizáveis, com desenhos personalizados para quem queira fazer coleção. Acontece no Super Bock Super Rock. No momento de consumo da primeira cerveja é solicitado um valor simbólico, uma “caução” que poderá ser recuperada no próprio evento, caso o consumidor queira devolver o copo “amigo do ambiente”. Ao longo das várias horas de música, a cerveja é sempre servida num copo reutilizável novo.

A Summers Tale

#5 | Lei do Conforto

- Sim, todos querem estar giros e com um visual cool em eventos tão públicos. Mas não aconselhamos de todo roupa ou calçado desconfortável. Saltos altos e chinelos/sandálias não são uma boa opção em ambientes menos urbanos. Podes sempre tropeçar, cair, torcer um tornozelo. Há sempre um pingo de cerveja que transborda para o teu dedo grande do pé ou uma pisadela bruta de alguém que passa por ti a correr, isto sem falar do pó e da areia, da relva seca ou da lama. Em Paredes de Coura não é raro ser necessário gabardine e galochas, tal é o microclima. Um fato de banho impõe-se nos eventos à beira-mar. Na mochila leva um casaco e um lenço para o pescoço não vá estar vento e frio.

- “Put the cream number five” nessa cara e nesse corpo se, às tantas, não queres ser confundido com um dos “bifes” que por cá passam férias em modo festivaleiro. Dentro do recinto, não te esqueças de ir bebendo água para não desidratar e para cortar o efeito embriagante da cerveja. Um chapéu também é útil para evitar insolações, ainda que em muitos festivais seja oferecido como merchandising.

- Se te sentires mal fisicamente, pede ajuda no posto médico ou a qualquer segurança do recinto. Se vires alguém nestas condições, ajuda-o. Se acampares, não será má ideia levares uma minifarmácia contigo com pensos rápidos, comprimidos para dores de cabeça, vómitos e diarreia, pomada para picada de insetos e repelente, algo muito útil em Vilar de Mouros. Não te esqueças da pílula e dos preservativos.

- No recinto da generalidade dos festivais há pagamento com Multibanco e máquinas de ATM. O pior que pode acontecer é o dinheiro acabar ou enfrentares grandes filas pelo que mais vale andares prevenido. Carregar o telemóvel também já não é nenhum drama, com vários postos ao teu dispor. No MEO Sudoeste há até máquinas de lavar a roupa.

Pin It