21 885 47 30 | geral@forum.pt

Podes não saber conduzir, nem sequer ter viatura própria mas com certeza não vais querer brincar com a tua segurança na estrada sempre que fores tu o peão, o condutor velocípede ou o co-piloto automóvel. Eis alguns comportamentos aos quais deves prestar atenção.

 

No lugar do "pendura"

Quem viaja ao lado do motorista também tem responsabilidades. E não estamos só a falar do facto de recair sobre essa pessoa a importante tarefa de ir selecionando a melhor das playlists para a viagem. Neste ponto, já está a cumprir uma das suas funções básicas: ajudar a que o condutor não se distraia da estrada, executando por ele tarefas mundanas como escolher uma música ou estação de rádio.

Deverá ser o co-piloto a atender qualquer chamada telefónica feita para o telemóvel do condutor ou a ler em voz alta as suas SMS, para que este continue com os olhos postos no caminho. Ajudar à navegação, seguindo os mapas e/ou GPS, bem como chamar a atenção para a sinalização na via ou para as manobras perigosas de outras viaturas, são outros dos contributos decisivos do “pendura” para uma condução feliz. Isso e não dormir. Ou, pelo menos, não deixar dormir.

 

Pelo teu próprio pé

Os peões são os utilizadores mais vulneráveis da estrada, uma vez que não usam qualquer tipo de proteção. Por isso, todo o cuidado é pouco quando se anda pela rua ou estrada pelo próprio pé. Circular sempre nos passeios e do lado direito deste, de modo a que quem circula do lado de fora do passeio esteja virado de frente para os veículos, é uma das regras básicas a respeitar quando se dá o encontro entre dois peões. Caso não haja passeio, deves circular do lado esquerdo, de frente para os veículos e o mais longe possível da faixa de rodagem. Quando circulares em grupo, em passeios estreitos, bermas ou em estradas sem berma ou passeio, o trajeto deve ser feito em fila indiana.

Atravessar sempre a rua ou a estrada na passadeira, na passagem para peões junto a semáforos (quando estes estiverem verdes para os peões, OK?) e em passagens protegidas superiores ou inferiores à via também se impõe em nome da tua segurança. Ver e ser visto é o lema a adotar, por isso não apareças de repente por detrás de um obstáculo (como por exemplo um automóvel) e não te atravesses na estrada em plena curva.

 

pexels photo

 

 

Na passadeira, coloca-te do lado direito para não chocares com os peões no sentido contrário. Antes de atravessar, para no lancil, olha para a esquerda e depois para a direita e novamente à esquerda, verifica a velocidade a que os veículos circulam (para teres a noção se demoram muito a chegar até ti) e que estes param efetivamente antes de seguires a tua marcha. Olhos nos olhos com o condutor é a melhor forma para teres a certeza que te está a ser cedida a passagem.

À noite, é ainda mais importante tornares-te visível. Por isso recomenda-se o uso de roupas claras ou de material retrorrefletor no vestuário. Uma lanterna, principalmente se circulares em estradas pouco iluminadas, é sempre útil. Sabias que os peões que usam material retrorrefletor podem ser vistos a cerca de 150 m, enquanto um peão vestido com roupas claras é visto a cerca de 50 metros e com roupas escuras a apenas 25 metros?

 

Circular em duas rodas

Há muitos anos que a equiparação, no Código da Estrada, dos velocípedes a veículos e dos ciclistas a automobilistas, suscita acesas discussões. Se aos condutores automóveis se pede que respeitem os ciclistas, a estes também são exigidas algumas regras básicas de segurança. Ser portador de documentação pessoal, não pedalar alcoolizado, ser bem visível através do uso de roupa retrorrefletora e de iluminação na bicicleta à frente (luzes brancas) e atrás (luzes vermelhas) ou usar capacete (não obrigatório mas recomendável) são alguns dos cuidados a ter quando se opta por este meio de transporte cada vez mais em voga nas grandes cidades devido também advento dos serviços de bike sharing de bicicletas elétricas.O mesmo se pode dizer das modernas trotinetes.

 

pexels photo 109920

 

 

Também recomendável é o uso de óculos (proteção contra o pó, partículas e raios ultravioletas) e luvas (proteção contra o frio, a fricção do guiador ou raspões em caso de queda). Sob duas rodas nunca andes em contramão, nos passeios ou muito rente aos carros/peões. A regra de usar a via mais à direita, e sempre em velocidade moderada, também é válida para as bicicletas. Se pedalares em grupo, deves fazê-lo em fila indiana ou aos pares no máximo. Sempre que retomes a marcha ou queiras mudar de direção, avisa os outros de tais manobras através de sinais de mão. E fica a saber que a utilização de qualquer tipo de equipamento ou aparelho suscetível de prejudicar a condução, como auscultadores sonoros e aparelhos radiotelefónicos, é proibida ao condutor de qualquer veículo, inclusive de velocípedes.

 

 

Pub IPPortalegre
Pub Lisboa Games Week
Pub Megafinalistas
Últimas - Capital Jovem da Segurança Rodoviária
Capital Jovem da Segurança Rodoviária
29 Agosto 2019

Campanha do Automóvel Club de Portugal pretende alertar para a necessidade do uso de capacete, por parte dos condutores de trotinetas e bicicletas elétricas. 

Capital Jovem da Segurança Rodoviária
26 Agosto 2019

Podes não saber conduzir, nem sequer ter viatura própria mas com certeza não vais querer brincar com a tua segurança na estrada sempre que fores tu o peão, o condutor velocípede ou o co-piloto automóvel. Eis alguns comportamentos aos quais deves prestar atenção.

Capital Jovem da Segurança Rodoviária
10 Maio 2019

O último dia da primeira semana foco Castelo Branco Capital Jovem da Segurança Rodoviária terminou com a revelação dos vencedores do concurso BP Segurança ao Segundo.