21 885 47 30 | geral@forum.pt

Mais de 300 mil exemplares vendidos em França. Dois anos no top de vendas. 'O Milagre Espinosa', a biografia assinada por Frédéric Lenoir, já está disponível em Portugal.

Filósofo judeu de origem lusa, obrigado a deixar Portugal para escapar às malhas da Inquisição no século XVII, Espinosa dedicou a sua vida a descobrir «o gozo de uma alegria suprema e incessante». Precursor do Iluminismo e das ideias das nossas democracias modernas, bem como da aliança entre liberdade e razão, a obra e os exemplos de Espinosa são apresentados por Frédéric Lenoir, filósofo do século XXI, autor de 'O Milagre Espinosa' – bestseller que já vendeu mais de 300 mil exemplares em França e que a Quetzal faz chegar às livrarias nacionais neste "querido mês de agosto" pela mão da editora Quetzal.

Espinosa não esteve apenas muito à frente do seu tempo, mas também do nosso: foi o pioneiro de uma leitura histórica e crítica da Bíblia, o fundador de uma «psicologia das profundezas», o grande mestre da filologia, o criador da sociologia e da etologia – e, acima de tudo, o inventor de uma filosofia baseada no
desejo e na alegria, que alterou radicalmente a nossa conceção de Deus, da moralidade e da ideia de destino.

Este livro é um relato dos ensinamentos do filósofo, aplicados à nossa vida e à nossa busca da felicidade. É esse o milagre de Espinosa. Estamos perante 194 páginas escritas numa linguagem clara, cativante, nada académica

Pub Megafinalistas
Pub Glion2
Pub Lisboa Games Week
Últimas - Livros
Livros
18 Outubro 2019

Chega hoje às livrarias 'A Grande Caçada', o 2.º livro da série de culto da autoria de Robert Jordan. Com mais de 80 milhões de exemplares vendidos, 'A Roda do Tempo' é a série de fantasia mais vendida de sempre no mundo inteiro depois de 'O Senhor dos Anéis'.

Livros
15 Outubro 2019

Com os romances de Christopher Petersen, o policial nórdico conhece um novo cenário: a Gronelândia e os seus enigmas.

Livros
14 Outubro 2019

Zezé, do clássico literário 'O Meu Pé de Laranja Lima', agora tem quase 20 anos e vive à procura de si mesmo, conta-nos José Mauro de Vasconcelos.