21 885 47 30 | geral@forum.pt

Que passos são dados para garantir o bem-estar animal? Sabe mais sobre este conceito que, na União Europeia, determina condições específicas a serem cumpridas.

A procura de produtos de origem animal tem vindo a aumentar, de mãos dadas com o crescimento da população humana. Este aumento levanta uma série de questões éticas, incluindo a sustentabilidade ambiental e o acesso seguro aos alimentos. Inquietações às quais se soma, obviamente, a preocupação com o bem-estar dos próprios animais.

O bem-estar animal assenta em diversos conceitos, princípios gerais e normas legislativas comunitárias ao nível da União Europeia (UE). Os indicadores de bem-estar podem ter em conta o estado de saúde, a condição física, o aspeto fisiológico e até o estado emocional dos animais. De acordo com alguns especialistas, o bem-estar pecuário pode ser avaliado segundo alguns critérios: liberdade de fome e sede, de desconforto, dor, lesão ou doença, de medo e angústia ou de expressão de um comportamento normal.

animals cattle domestic 390025

 

Muitos países europeus responderam às preocupações públicas sobre bem-estar animal, aprovando legislação que sanciona determinadas práticas. Estas diretivas que serviram depois de base para a criação de legislação geral no âmbito da União Europeia. A Convenção Europeia para a proteção dos animais nas explorações pecuárias, datada de 1978, determina algumas condições: evitar sofrimento, garantir abrigo, nutrição e sistemas de maneio adequados aos animais.

O Protocolo sobre proteção e bem-estar dos animais da EU reconhece os animais como “seres sencientes” – que sentem, que são sensíveis – e solicita por isso aos Estados-Membros que “prestem atenção às exigências do bem-estar dos animais, respeitando as disposições legislativas ou administrativas e aduaneiras dos estados membros, em particular, os rituais religiosos, tradições culturais e património regional”.

 

"A Convenção Europeia para a proteção dos animais nas explorações pecuárias (...) determina algumas condições: evitar sofrimento, garantir abrigo, nutrição e sistemas de maneio adequados"

 

O que é a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (AESA)?

Criada em 2002, a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (AESA) é uma agência europeia independente que tem como principal objetivo a emissão de pareceres científicos sobre a proteção dos animais e segurança alimentar. Este trabalho abrange todas as etapas da produção, recolhendo informações e analisando os novos avanços científicos, de modo a identificar e avaliar os eventuais riscos para a cadeia alimentar.

O Painel de Saúde e Bem-estar Animal da AESA é responsável por todos os aspetos de saúde e bem-estar animal, relacionados principalmente com animais de produção na sua relação homem-animal-ambiente. Entre 2004 e 2012, o seu painel de peritos emitiu 42 pareceres científicos sobre bem-estar animal, para diferentes espécies.

Pub Lisboa Games Week
Pub Glion2
Pub FINDE_U
Últimas - IACA Students
IACA Students
16 Outubro 2019

No Dia Mundial da Alimentação, a IACA levou a 113 escolas de todo o país uma reflexão sobre "o que comem os animais que nós comemos". A partilha de factos sobre alimentação animal teve como objetivo "permitir a tomada de decisões informadas".

IACA Students
14 Outubro 2019

No dia Mundial da Alimentação, desafiamos professores e alunos a saber mais sobre a alimentação dos animais. Para ajudar na dinamização de atividades colocamos aqui à disposição vários materiais para download.

IACA Students
11 Outubro 2019

Nuno Mota, Diretor de Operações da Raporal, explica-nos a forma como o setor da Alimentação Animal se encontra na vanguarda de áreas como a inovação ou a sustentabilidade ambiental. Tudo isto, sem esquecer o seu impacto global, realça: “Eu contribuo para alimentar o Mundo”.