Tudo começou no Rossio com "O último sonho do grande aventureiro Fernão Mendes Pinto" que procurou recriar a última grande viagem do explorador. Concebido pelo Centro de Ciração para o Teatro e Artes de Rua, foi um excelente espetáculo performativo no qual, para além de gigantes instalações no ar (de Plasticiens Volants), se juntou diferentes universos sonoros: o fado de Gisela João, os Bambaram e o coro Molihua. Neste, fomos levados para um mundo do onírico e do imaginário marítimo, como o das descobertas dos primeiros navegadores.
Mais iniciativas serão feitas durante todo o mês, como o "Santo António à La Time Out", exposições, concertos nos transportes públicos; não esquecendo os indispensáveis casamentos e marchas populares.

(Mia de Seixas)