21 885 47 30 | geral@forum.pt

Não há romance, novela ou ensaio deste autor que não contenha frases memoráveis, personagens trágicas ou cómicas que exprimem de forma singular, pensamentos ousados.

«Não condenemos os pensamentos de ninguém, antes de os examinar de raiz», escreve Camilo Castelo Branco no romance 'O Retrato de Ricardina', naquele que é um bom exemplo do estilo desafiador evocado nesta aposta editorial da Quetzal. A obra '1000 Frases de Camilo Castelo Branco', com organização de Luís Naves (jornalista, blogger, cronista e escritor), mostra o léxico poderoso e maleável deste autor, a sua veia cómica (tão próxima do cinismo como da melancolia), as suas ideias controversas.

A obra surge na sequência de publicações congéneres inspiradas em frases de Fernando Pessoa e Vergílio Ferreira. As citações nela reunidas traduzem o temperamento e o génio de Camilo Castelo Branco, passando por temas como o amor, a literatura e a política, entre outros.

«Se está decidido que os caranguejos não andam para diante, nem são estacionários, este romance é uma espécie de caranguejo literário: recua, pelo menos, vinte anos em cada capítulo!»; «É isto verdade; o contrário também é verdade; neste mundo, ou tudo é verdade, ou não há verdade nenhuma»; «Amar eternamente!... Deus nos livre disso, não há amor que resista a vinte e quatro horas de filosofia!»; e «A beleza é o poder moderador dos delitos do coração» são alguns dos exemplos das frases aqui compiladas.
Pub Huawey PSmart+
Pub FCH_2019
Pub Guia Prático Estudante 2019
Últimas - Livros
Livros
17 Julho 2019

No ano em que se assinalam os 500 anos da morte de Leonardo, Walter Isaacson narra com rigor e detalhe histórico as fascinantes vida e mente deste símbolo da Renascença.

Livros
16 Julho 2019

Um jovem escritor, José, é incumbido de escrever a vida do consagrado escritor, José. Este é o ponto de partida do livro que marca o regresso de José Luís Peixoto ao romance, quatro anos depois de Em Teu Ventre.

Livros
16 Julho 2019

Entre o nascimento e a morte no exílio, Amélia de Orleães viveu 86 anos repletos de momentos felizes, mas também de desilusões e traições, como se narra na nova obra de Margarida Durães.