21 885 47 30 | geral@forum.pt

A 89ª edição apresenta 32 novos pavilhões, num total de 328. Serão 636 as marcas editoriais presentes no Parque Eduardo VII até 16 de junho.

Na opinião da APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros – a Feira do Livro de Lisboa “está maior, melhor, mais verde e mais familiar”. Vamos por partes para justificar a definição avançada por Bruno Pacheco, representante deste organismo, em conferência de imprensa.

Maior: O evento cresce 25 novos participantes, para um total de 138. Esta 89.ª edição conta com 32 novos pavilhões, num total de 328. Serão 636 as marcas editoriais presentes no evento, mais 10 em que 2018. Há um novo espaço, do lado esquerdo de quem sobe o Parque Eduardo VII, dedicado aos Novos Participantes, nomeadamente Fundação EDP – MAAT, Embaixada da Rússia, Ler Devagar ou Serralves, num total de 14 empresas e 15 pavilhões. “Acreditamos que poderá ser o futuro da feira”, afiança a APEL. Este ano também regressam alguns expositores. Ao todo serão mais de 2 mil metros quadrados de recinto.

Melhor: Há mais oferta editorial, numa estimativa de 100 mil títulos, correspondendo a cerca de 80/90% da edição literária em Portugal. Aqui há a vantagem ainda da disponibilização dos denominados “fundos de catálogo”, ou seja, obras que já não se encontram à venda nas livrarias. As zonas comuns foram melhoradas, o interior do Auditório foi renovado, os WC foram recolocados, as zonas de restauração estão mais dispersas no recinto. A feira está também mais acessível, uma vez que vão estar disponíveis cadeiras de rodas e andarilhos, cedidos pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para os visitantes sem mobilidade ou com mobilidade reduzida.

Mais Verde: A sustentabilidade ambiental é o mote deste ano. 60 mil sacos de papel vão ser distribuídos pela APEL em parceria com a The Navigator Company, promovendo o papel como um suporte natural, renovável, reciclável e biodegradável. Nas zonas de restauração – que esta ano aumentam para 42 - a preocupação ambiental também será visível. A alcatifa, que cobri mil metros quadrados do recinto, foi substituída por um piso reutilizável em futuras edições, semelhante ao típico dos parques infantis. Este ano há também um espaço para parqueamento e manutenção de bicicletas.

Mais familiar: Com um site renovado, Wi-Fi gratuito e uma nova app gratuita para Android e iOS (com mapas, livros do dia, sessões de autógrafos, etc), a Feira do Livro de Lisboa continua a apostar em conceitos vencedores de anos anteriores como o Espaço Bebé, o RefresCão, Doe os seus Livros, Hora H (entre segunda e quinta-feira, happy hour das 21h00 às 22h00), o Espaço Selfie ou o Sensório Forbrain. Continuam também as parcerias com a Fundação Franscisco Manuel dos Santos e as BLX (Bibliotecas Municipais de Lisboa), aqui com uma vasta programação dirigida ao público infanto-juvenil inspirada na inclusão social. A gastronomia – concursos, show cooking e lançamentos de livros – terá ainda mais expressão nesta 89.ª edição.

Horários:
segunda e quinta-feira - das 12h30 às 22h00;
sextas-feiras e vésperas de feriado - das 12h30 às 00h00;
sábados - das 11h00 às 00h00;
domingos e feriados - das 11h00 às 22h00.

Pub Guia Prático Estudante 2019
Pub FCH_2019
Pub
Últimas - Livros
Livros
17 Julho 2019

No ano em que se assinalam os 500 anos da morte de Leonardo, Walter Isaacson narra com rigor e detalhe histórico as fascinantes vida e mente deste símbolo da Renascença.

Livros
16 Julho 2019

Um jovem escritor, José, é incumbido de escrever a vida do consagrado escritor, José. Este é o ponto de partida do livro que marca o regresso de José Luís Peixoto ao romance, quatro anos depois de Em Teu Ventre.

Livros
16 Julho 2019

Entre o nascimento e a morte no exílio, Amélia de Orleães viveu 86 anos repletos de momentos felizes, mas também de desilusões e traições, como se narra na nova obra de Margarida Durães.