Para a construção de um espaço harmonioso e confortável, há vários fatores em jogo, recorda o IPCB, em comunicado: configuração, volumetria, mobiliário e respetiva disposição, materiais ou qualidade da iluminação são alguns exemplos. A mostra "Paisagens Sonoras", que estará patente ao público até 29 de fevereiro, explica esta instituição de ensino superior, pretende "não só propor uma solução e sensibilizar a comunidade para a problemática em causa, como também partilhar todo o processo construtivo e criativo".

A exposição nasce de um projeto colaborativo que envolve o Fab Lab Aldeias do Xisto e mestrandos de design de interiores e mobiliário da Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do IPCB através do ESART Project Factory, laboratório oficinal de apoio ao desenvolvimento e execução de projetos nesta área.

 

 

O desafio foi lançado no contexto curricular do curso, consistindo na criação de painéis que minimizem reflexões sonoras e permitam uma melhor comunicação, volume e definição de som sem descuidar o aspeto estético do produto. Pelas propriedades acústicas naturais, o material selecionado foi a cortiça.

Após uma primeira fase em contexto de aula, teve lugar uma residência artística de dois dias no Fab Lab Aldeias do Xisto. Com vista ajudar no desenvolvimento dos projetos, foram então fabricados modelos à escala 1:2, seguindo-se a prototipagem de 22 painéis. Pelo contato com a tecnologia de corte e gravação laser e pelas operações de montagem e acabamento dos painéis, "o processo ajudou a complementar as aprendizagens", salienta o IPCB.

Pin It