O Varonwe tem dado nas vistas na luta pelos direitos dos elfos trabalhadores. Pode dizer-se que, este Natal, o Pai Natal recebeu alguns pedidos diferentes… 

Antes de mais, não são pedidos, são exigências. Reivindicamos melhores condições de trabalho e subsídios correspondentes à maior produção que caracteriza esta quadra. Se visitarem a nossa fábrica nas semanas que antecedem o Natal, vão perceber rapidamente a urgência destas medidas. Não podemos ter trabalhadores que estão há 800 anos sem receber. Isto é impensável num país como a Lapónia, em que a exportação de brinquedos representa 99,7% do PIB. 


E qual foi a reação do Pai Natal? 
 

A postura do proprietário da fábrica de brinquedos não tem ajudado. Digamos que o Senhor Nicolau não nos dá resposta a perguntas importantes como “Para onde vai o dinheiro da Coca-Cola?” ou “Há dinheiro para comprar renas novas, mas não há para pagar aos trabalhadores?”. A todas estas questões, Senhor Nicolau responde com uma gargalhada – uma espécie de “Ho, ho, ho” muito ofensivo. 

 


«Há muitos elfos que passam dificuldades. A julgar pela barriga do Senhor Nicolau, não me parece que se possa dizer o mesmo» 


 

 


A greve é uma possibilidade? 
 

Essa é uma questão pertinente. Reparem que há uma pressão muito grande que nos é colocada para continuar a produzir. A sociedade será rápida em julgar-nos se decidirmos fazer uma greve que deixe as crianças do mundo sem brinquedos. Mas a Constituição da Lapónia é clara e diz-nos que a greve constitui um direito irrenunciável de todos os trabalhadores. Aliás, diria que a greve serve precisamente para mostrar a importância do nosso trabalho, serve para nos valorizar. Não pedimos mais do que aquilo que é justo, nomeadamente não sermos escravizados pelo Senhor Nicolau. 


O que é sente que precisa de mudar? 
 

Infelizmente, muita coisa. Aos poucos, vamos observando como a Lapónia se convenceu disto – parece normal que se pense que nós, elfos, estamos condenados a uma vida de trabalho intenso sem uma compensação justa. Cada brinquedo oferecido pelo Pai Natal é resultado de muitas horas de trabalho. Merecemos ter uma vida melhor, mais digna. Há muitos elfos que passam dificuldades. A julgar pela barriga do Senhor Nicolau, não me parece que se possa dizer o mesmo.